Dados não são apenas dados quando aplicados na vida real

0

Diogo Roberte, Empreendedor e Investidor

Uma história de empreendedorismo que se inicia em um café parece comum, não é mesmo? Mas, neste caso, faz parte da história do Pic Pay. O empreendedor Diogo Roberte passou alguns meses do ano de 2012 observando o comportamento em tempo real dentro de um café para entender onde as pessoas poderiam utilizar o aplicativo ao menos duas vezes ao dia para fazer pagamentos usando o celular.

Esta foi apenas uma das experiências contadas pelo executivo durante o painel do SAS Banking Summit 2021. Roberte aproveitou a oportunidade também para compartilhar suas experiências em comunidades e favelas durante a criação do Pic Pay, sempre com o objetivo de capturar dados da vida real para aprimorar o uso da tecnologia até então desconhecida, e de pouco acesso para alguns. Essas experiências, segundo o executivo, permitiram uma análise dos dados dentro do contexto, e provocaram algumas reflexões que contribuíram para o desenvolvimento do projeto que não seriam possíveis com a coleta de dados de forma remota.

Ao longo da sua apresentação, Diogo contou ainda sobre um novo projeto que utiliza o blockchain para coletar, armazenar e distribuir dados de saúde. “O The Zero Human será o projeto mais importante da minha vida pelos próximos 10 anos”, revela Roberte, explicando que a ideia surgiu depois de uma experiência burocrática na busca por um plano de saúde e também de vivências promovidas pelo trabalho social que faz junto com sua esposa, quando enfrentou problemas devido à falta de informações padronizadas e claras, tanto na rede de saúde pública quanto na rede privada.

O empreendedor detalhou também, orgulhoso, seu protagonismo no projeto “Juntos pela mama”, criado com o objetivo de zerar a fila para tratamento de câncer de mama no Espírito Santo. Segundo ele, há dois meses, o projeto conseguiu zerar as filas para o tratamento do câncer de mama naquele estado.

O executivo traz ainda uma reflexão na questão dos dados e das informações, deixando uma pergunta aos espectadores: "Como seria o mundo, hoje, se tivéssemos, em dezembro de 2019, os dados abertos, dos primeiros 1000 contaminados pelo COVID-19?". Ele ainda reforça o quanto é importante nosso olhar para organização dos dados.

Para finalizar, Diogo traz 3 reflexões:

- Dados, quando analisados de forma isolada, são apenas dados;

- Se concentre no poder dos dados;

- A combinação de experiências diferentes é mais poderosa que a análise dos dados isolados.

Share

About Author

Alice Correa

Assistente de Marketing, SAS

Alice Correa é formada em secretariado e gestão de pessoas, com 20 anos de experiência no mundo corporativo. Faz parte do time de marketing do SAS desde o início de 2021, com foco principalmente nas atividades de comunicação interna e externa. Curiosidade e criatividade fazem parte do seu dia a dia, tem paixão pelos temas ligados à diversidade e à inclusão e, nas horas vagas, é padeira. ;)

Leave A Reply

Back to Top